A incrível história da Abarth

Redação

14/03/2024

7 min

A incrível história da Abarth

A marca italiana com ligações fortes à Fiat desde as origens, foi fundada em 31 de março de 1949, por Karlo Abarth, com o piloto Guido Scagliarini como seu sócio, embora fosse o engenheiro de ascendência austríaca o verdadeiro motor do sucesso do escorpião, aliás um símbolo inspirado no signo do zodíaco deste seu fundador.

Autobianchi A112 Abarth

Karlo Abarth, com apenas 11 anos, já demonstrava a sua paixão pelas corridas e alguma competitividade. O miúdo encontrou forma de cobrir as rodas de madeira da sua trotineta com um cinto de couro para ficar mais rápida e vencer os vizinhos mais velhos. Desde pequeno, deu nas vistas. Mais tarde, inicia-se nos motores, primeiro em duas rodas, com as motos. Venceu várias corridas com a Motor Thun, onde trabalhou entre 1927 e 34.

Um acidente forçou-o a interromper a carreira no motociclismo, mas imediatamente tentou a sorte em sidecars, categoria onde obteve muito mais sucesso. Chegou a enfrentar o Expresso do Oriente, um dos comboios ferroviários mais famosos da história, que acabou por bater. Outro grave acidente, em 1939, colocou um ponto final definitivo nesta fase da sua carreira de piloto.

Quanto custa um Abarth novo?

É então que marca se muda para Merano, em Itália, onde obteve a nacionalidade e mudou o nome de Karlo para Carlo. O primeiro emprego no país foi na Cisitalia (Consorzio Industriale Sportivo Italia), mas foi o convite de Ferry Porsche para representar a marca Porsche Konstruktioner que levou Abarth para Itália.

Em 1946, nascia a equipa Cisitalia, com Carlo Abarth, Ferdinand Porsche, Tazio Nuvolari e Pierdo Dusio, quarteto que obteve um enorme sucesso em competição até 1949, ano em que a empresa faliu. E é precisamente com o espólio que sobrou da Cisitalia que Abarth constrói as fundações da sua empresa.

O primeiro Abarth

Depois de uma carreira de piloto, Abarth cria a empresa com o seu nome e o primeiro veículo produzido chega pouco depois: o 204 A Roadster, que não era mais do que a preparação desportiva de um Cisitalia, modelo que por sua vez era fabricado sobre a base rolante do popular Fiat 1100.

Fiat 500 Abarth Monza 1958

O sucesso foi imediato. Mas, fora das pistas, começava a chamar atenção com os seus kits de preparação, entre os quais o famoso escape de competição para os Fiat. Era um sistema simples, mas inovador, que aumentava a performance e produzia um som muito característico. Em 1962, a Abarth vendeu 257 mil unidades deste equipamento, 65% destinadas à exportação.

113 recordes internacionais

Fiat Abarth 500 Record

A história da marca e a do seu logótipo entrelaçam-se com os êxitos desportivos, iniciados muito cedo. O primeiro foi a vitória na categoria na famosa rampa Palermo-Monte Pellegrino, em 1950, com o célebre Tazio Nuvolari, “O Mantuano Voador”, ao volante de um Abarth 204A. Em 1954, Carlo Abarth decidiu completar o logótipo com a inclusão de um escudo bicolor, emblema de vitórias em “batalhas desportivas”, a servir de fundo ao Escorpião.

Monza foi o circuito talismã da Abarth, pois aí alcançou vários recordes: 5.000 e 10.000 quilómetros, 5.000 milhas, 48 ??horas e 72 horas. Todos com o mesmo Fiat Abarth 750 Zagato e Abarth 750 Zagato GT. Também participou da lendária Mille Miglia, em 1957, com 20 carros da categoria 750, dos quais terminaram a corrida 16.

Veja todos os Abarth usados à venda no Standvirtual

Em 1962, o Abarth 1000 Bialbero conquistou o primeiro de seis Campeonatos Mundiais de Construtores, tendo, então, sido acrescentados novos elementos ao logótipo para comemorar este importante título: uma bandeira de xadrez preta e branca, as palavras “Campione del mondo” (“Campeão Mundial”) em letras maiúsculas vermelhas sobre fundo amarelo e uma coroa de louros estilizada.

Em 1969, foi lançado um logótipo renovado. As principais diferenças envolveram o Escorpião, o próprio símbolo da empresa sediada em Turim, mais estilizado, completamente preto e, pela primeira vez, com ambas as pinças apontadas para cima. Também o lettering mudou. Passou a ser branco sobre fundo azul e a ostentar simplesmente a palavra “Abarth”.

Em 1971, foi comprada pela Fiat e no logótipo surgiu a bandeira de Itália por trás da palavra Abarth para lhe sublinhar o caráter italiano.

Carlo Abarth morreu a 25 de outubro de 1979.

Uma história com futuro

Fiat Abarth 131 Rally

O emblema atual, completamente redesenhado em 2007, incorpora todos os elementos característicos do Escorpião, mas com uma interpretação decididamente mais moderna e atualizada, com as pinças da silhueta preta colocadas na diagonal do escudo.

Em 2019, por ocasião do 70.º aniversário, foi lançada uma versão do escudo comemorativa, tendo sido incluída uma bandeira de xadrez. Este símbolo foi orgulhosamente exibido exclusivamente pelos veículos produzidos no ano do 70.º aniversário. Nesse ano, foi criada mais uma versão comemorativa, colorida, desenvolvida especificamente para a Edição Limitada do 695 70th Anniversary, de que foram construídas apenas 1949 unidades como referência ao ano em que a marca foi fundada.

Fiat Abarth 1000

Todos os modelos exibem outro logótipo na parte traseira dos painéis laterais que repete o importante emblema que as viaturas de competição Abarth têm orgulhosamente exibido desde os anos 60. Este logótipo retoma o típico escudo Abarth amarelo e vermelho a enquadrar o escorpião e acrescenta um relâmpago com as cores da bandeira italiana. É uma sincera homenagem ao empenho da Abarth na competição, que sempre foi visto, desde os primeiros dias, como terreno de experimentação de soluções técnicas e tecnológicas inovadoras destinadas a aumentar o desempenho e a fiabilidade dos carros de competição da Abarth e que posteriormente iriam beneficiar os modelos de produção em série.

O lançamento do Abarth 500e

Novo Abarth 500e elétrico

O Abarth 500e elétrico, lançado em Portugal no ano de 2022, representa a inovadora incursão da marca italiana no universo da mobilidade sustentável. Este veículo compacto e ágil oferece uma experiência de condução única, combinando o estilo característico da Abarth com a eficiência e respeito pelo meio ambiente da propulsão elétrica.

Equipado com um potente motor elétrico de 113,7 kW (155 cv), o Abarth 500e proporciona uma aceleração instantânea e silenciosa, mantendo a agilidade que é marca registada da Abarth. Além disso, seu design dinâmico e desportivo, aliado à tecnologia de ponta, evidencia o compromisso da Abarth com a inovação e a sustentabilidade, oferecendo aos entusiastas de carros desportivos uma opção elétrica muito emocionante.

Curiosidades sobre a marca

Carlo Abarth 1965

Duas curiosidades merecem ser destacadas na história da Abarth: a primeira é sobre o famoso símbolo de escorpião. Ele representa o signo de Karl Abarth, nascido em novembro de 1908. A segunda é sobre a determinação de Karl Abarth que, com 57 anos, atingiu um recorde de aceleração ao volante do seu Fiat Abarth “1000 monoposto record” Classe G e, no dia seguinte, conseguiu o mesmo recorde num monolugar Classe E. Para conseguir entrar no habitáculo, perdeu 30 kg seguindo uma dieta à base de maçãs!

Leia também:

Mais artigos da mesma categoria

Que combustível escolher?

Para comprar um carro ponderamos vários fatores: as dimensões, o design, a finalidade, a marca, entre outros. Uma das questões obrigatórias passa pelo tipo de…

Quais os carros mais económicos em Portugal?

Cada marca de automóvel tem os seus centros de reparação e manutenção. Os preços que aplicam variam de marca para marca. Existem também oficinas e…

Os carros mais baratos das marcas premium

Ter um carro de uma marca mais conceituada não só significa ter mais conforto e prazer enquanto estamos a conduzir. Representa também um estatuto perante…

Carros híbridos: tudo o que precisa saber

Os carros híbridos estão cada vez mais em voga. São potentes, económicos e amigos do ambiente. Mas será que conhece todas as características destes carros?…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional