A evolução do design automóvel os anos 30

5 min

A evolução do design automóvel: os anos 30

Se os loucos anos 20 abriram a porta ao novo meio de transporte se transformar em objeto de culto e desejo, o design automóvel dos anos 30 ficou marcado pelo estilo Art Déco, visível em todas as áreas, da arquitetura à joalharia. Isto é, com a Grande Depressão, com início em 1929, a racionalidade foi ganhando pontos sobre a exuberância, acabando por vingar um design que privilegiava a simplicidade e, muito importante, a funcionalidade.

No caso específico da indústria automóvel, aquele novo movimento internacional de design, que rejeitou os ideais e formas da Art Nouveau, favoreceu as composições angulares, simétricas e geométricas e incorporou materiais como o alumínio e o aço inoxidável.

Bugatti Type 57 design automóvel Standvirtual

Isso não significou o desaparecimento dos investimentos milionários em máquinas de luxo, sobretudo criadas em solo francês, com marcas como a Bugatti, a Delahaye ou a Delage a construírem icónicas máquinas. Mas que não serviam para democratizar o automóvel…

Artigo relacionado: A evolução do design automóvel: os anos 20

Porém, mesmo nos carros mais extravagantes, começava a ganhar preponderância o uso das linhas limpas do estilo Art Deco, até porque, se começou a perceber que ao anular alguns dos adornos típicos dos anos 20, melhorava-se a aerodinâmica.

Design automóvel nos anos 30: a função sobre a beleza

Assim, nascia uma nova geração de automóveis, que colocavam a estética ao serviço da função, sobretudo depois de testes de aeronaves em túneis de vento terem fornecido os dados necessários para comprovar os benefícios de reduzir a resistência ao ar.

Neste capítulo, houve várias investidas, umas mais bem-sucedidas que outras. Caso do Chrysler Airflow, produzido entre 1934 e 1937, que foi o primeiro automóvel a utilizar a racionalização como base, incluindo até um para-brisas bipartido, concebido para permitir a passagem do ar. Porém, acabou por ser um fracasso comercial.

Chrysler Airflow carros anos 30 Standvirtual

Ao mesmo tempo, assistia-se a uma evolução sem precedentes na indústria da metalúrgica (que viria a ser ainda mais impulsionada nos últimos anos da década por causa da II Guerra, que começa em 1939): surgem novos tipos de aço que podiam ser moldados com maior facilidade, admitindo assim a criação de formas mais suaves. Os carros deixam de ter o ar quadrado dos exemplares do início do século, nomeadamente do Model T da Ford, e começam a revelar silhuetas mais elegantes.

Do desporto à democratização

Enquanto o design era cada vez mais valorizado, os engenheiros começaram a perceber a importância de conseguir aliar um chassis leve a um motor potente – algo que começa a ganhar relevância ao mesmo tempo que os desportos motorizados se afirmam de forma mais perentória.

É na década de 1930 que se assiste à transformação de carros de estrada em puros bólides de corrida, com marcas como a Alfa Romeo, a Auto Union, a Bugatti, a Delage, a Delahaye e a Mercedes-Benz a construírem veículos aerodinâmicos com motores ultrapotentes. Ao mesmo tempo, o peso era uma questão com cada vez maior relevo: de 1928 a 1930 e novamente de 1934 a 1936, o peso máximo permitido era de 750 quilos, o que obrigou ao uso de ligas de alumínio e até à eliminação das camadas de tinta…

Artigo relacionado: Conheça os maiores leilões mundiais de carros clássicos

Em simultâneo, grandes empresas começavam a perceber que a aparência tem uma grande importância para o comprador, criando secções próprias para pensar no estilo (e até nas cores) dos automóveis.

Mas o que vem, definitivamente, criar uma revolução é a construção de modelos aos quais a maioria da recém-nascida classe média consegue chegar. Foi o caso do Carocha, da Volkswagen, lançado em 1938 (e que viria a tornar-se o modelo mais vendido de todos os tempos: 21.529.464 unidades fabricadas em 65 anos).

Volkswagen Carocha Standvirtual

Com apenas 4 metros de comprimento e servido por motor Boxer de 4 cilindros, montado atrás e a fornecer energia às rodas traseiras, era refrigerado a ar (características inspiradas no Tatra T97 da Checoslováquia, o que obrigou a VW, em 1961, a pagar 3 milhões de marcos alemães por danos causados pelo plágio). Mas, mais importante: chegava por um valor capaz de revolucionar a importância do automóvel, muito por causa do apoio do Governo alemão da época.

É o Carocha que abre a porta ao desenvolvimento de carros pequenos, pensados para uma fatia da população que estava longe de andar pelos círculos da ribalta e que nunca conseguiria chegar aos modelos ultraluxuosos dos anos 20. No entanto, apesar de a sua vida ter começado em 1938, o Carocha só começou a ser comercializado para a população civil quase dez anos depois: durante a II Guerra Mundial, foi usado para fins militares e entre as elites nazis. E, nessa altura, começava a ter concorrentes à altura, influenciados pelo seu desenho e missão: em 1946, a Renault lançava o Joaninha, enquanto a Citroën mostrou-se ao mundo o 2CV, pela primeira vez, em 1948.

 
Leia também:

eyJpZCI6IjIyNDIzMjE1NDkzIiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX0xCX1RvcCIsInBhcmVudFBhdGgiOlt7ImlkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3IiwiYWRVbml0Q29kZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3In0seyJpZCI6IjIwMzU2NTkwOTY3IiwibmFtZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIn0seyJpZCI6IjIxNzg0MTIzODQwIiwibmFtZSI6IlNUVl9ibG9nIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IlNUVl9ibG9nIn0seyJpZCI6IjIyNDIxODkyMzI0IiwibmFtZSI6IkJsb2dfRGVza3RvcCIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX0Rlc2t0b3AifV0sImFkVW5pdENvZGUiOiJBUF9MQl9Ub3AiLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiI3MjgiLCJoZWlnaHQiOiI5MCIsImlzQXNwZWN0UmF0aW8iOiJmYWxzZSJ9LCJlbnZpcm9ubWVudFR5cGUiOiJCUk9XU0VSIiwiZnVsbERpc3BsYXlTdHJpbmciOiI3Mjh4OTAifX0=
eyJpZCI6IjIyNDIzMjIwNDM0IiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzEiLCJwYXJlbnRQYXRoIjpbeyJpZCI6IjUwOTIyNyIsIm5hbWUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyJ9LHsiaWQiOiIyMDM1NjU5MDk2NyIsIm5hbWUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCIsImFkVW5pdENvZGUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCJ9LHsiaWQiOiIyMTc4NDEyMzg0MCIsIm5hbWUiOiJTVFZfYmxvZyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJTVFZfYmxvZyJ9LHsiaWQiOiIyMjQyMTg5MTQzMCIsIm5hbWUiOiJCbG9nX01vYmlsZSIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX01vYmlsZSJ9XSwiYWRVbml0Q29kZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzEiLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiIzMDAiLCJoZWlnaHQiOiIyNTAiLCJpc0FzcGVjdFJhdGlvIjoiZmFsc2UifSwiZW52aXJvbm1lbnRUeXBlIjoiQlJPV1NFUiIsImZ1bGxEaXNwbGF5U3RyaW5nIjoiMzAweDI1MCJ9fQ==
eyJpZCI6IjIyNDIzNDM3Mjg3IiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX0xCX0JvdHRvbSIsInBhcmVudFBhdGgiOlt7ImlkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3IiwiYWRVbml0Q29kZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3In0seyJpZCI6IjIwMzU2NTkwOTY3IiwibmFtZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIn0seyJpZCI6IjIxNzg0MTIzODQwIiwibmFtZSI6IlNUVl9ibG9nIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IlNUVl9ibG9nIn0seyJpZCI6IjIyNDIxODkyMzI0IiwibmFtZSI6IkJsb2dfRGVza3RvcCIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX0Rlc2t0b3AifV0sImFkVW5pdENvZGUiOiJBUF9MQl9Cb3R0b20iLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiI3MjgiLCJoZWlnaHQiOiI5MCIsImlzQXNwZWN0UmF0aW8iOiJmYWxzZSJ9LCJlbnZpcm9ubWVudFR5cGUiOiJCUk9XU0VSIiwiZnVsbERpc3BsYXlTdHJpbmciOiI3Mjh4OTAifX0=
eyJpZCI6IjIyNDIzMjIxMTc1IiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzIiLCJwYXJlbnRQYXRoIjpbeyJpZCI6IjUwOTIyNyIsIm5hbWUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyJ9LHsiaWQiOiIyMDM1NjU5MDk2NyIsIm5hbWUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCIsImFkVW5pdENvZGUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCJ9LHsiaWQiOiIyMTc4NDEyMzg0MCIsIm5hbWUiOiJTVFZfYmxvZyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJTVFZfYmxvZyJ9LHsiaWQiOiIyMjQyMTg5MTQzMCIsIm5hbWUiOiJCbG9nX01vYmlsZSIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX01vYmlsZSJ9XSwiYWRVbml0Q29kZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzIiLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiIzMDAiLCJoZWlnaHQiOiIyNTAiLCJpc0FzcGVjdFJhdGlvIjoiZmFsc2UifSwiZW52aXJvbm1lbnRUeXBlIjoiQlJPV1NFUiIsImZ1bGxEaXNwbGF5U3RyaW5nIjoiMzAweDI1MCJ9fQ==

Mais artigos da mesma categoria

Carros híbridos e Plug-in sofrem cortes nos incentivos

A proposta para o corte nos incentivos para carros híbridos e plug-in foi apresentada pelo PAN (Pessoas Animais e Natureza) e passou com o aval…

Grande Prémio de Portugal de Fórmula 1 volta em 2021

O Grande Prémio de Portugal parece estar para ficar de pedra e cal no calendário do Mundial de Fórmula 1. A Federação Internacional do Automóvel…

Pontos da carta de condução: como funciona?

O novo regime por pontos da carta de condução ainda suscita muitas dúvidas, por isso, neste artigo, vamos explicar como funciona a carta por pontos.…

Conheça todas as marcas que produzem carros elétricos

Começaram de forma quase tímida, mas hoje não há marca que não se renda aos carros elétricos - pelo menos se pretende continuar a vender…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional