4 carros novos a gasoleo 40 mil euros

7 min

4 carros novos a gasóleo até 40.000€

O aumento exponencial nas vendas e na oferta de modelos eletrificados também originou uma transformação na procura, com a quebra acentuada na popularidade dos motores a gasóleo.

Todavia, em Portugal, os turbodiesel ainda representam muitas vendas, empresariais ou particulares. Num e noutro caso, aqui está uma lista com quatro propostas do melhor que a categoria tem para oferecer por preços até 40 mil euros.

Carros novos a gasóleo por menos de 40 mil euros

Opel Insignia Grand Sport 1.5 D

2020 Opel Insignia Grand Sport

Mantendo o porte avantajado e imponente da berlina de cinco portas original, na 2.ª geração do Insignia, a Opel privilegiou os fãs da condução, otimizando sobremaneira a dinâmica do seu modelo topo de gama, que tinha a missão de relançar a marca alemã numa classe importante para a rentabilidade.

Com a designação Grand Sport à frente de Insignia, não anuncia apenas a silhueta redesenhada do tipo coupé, como também remete para uma certa vocação desportiva. A plataforma é, no entanto, a mesma variante da arquitetura Epsilon II, ainda da General Motors (GM), garantia de comportamento dinâmico equilibrado, mas claramente mais focada no conforto e no rolamento refinado.

O interior é espaçoso para cinco ocupantes, com menos altura nos lugares posteriores devido ao desenho “acoupezado” da traseira, sendo a capacidade da bagageira também mais curta do que na maioria das berlinas na categoria: 490 a 1450 litros.

Sob o capot está Diesel de 1,5 litros com rendimento modesto (122 cv), mas que tem a versatilidade que este tipo de automóvel pede, conjugando prestações satisfatória e economia. A unidade, equipada com catalisador de redução seletiva e catalisador de oxidação passiva, injeção de AdBlue e filtro de partículas, pode estar associada a uma caixa manual de 6 velocidades, mas as performances nunca impressionam tanto quanto os consumos: a Opel anuncia 11,4 segundos na medição de 0 a 100 km/h e média de 3,8 litros por 100 km percorridos.

Veja os preços das várias versões do Opel Insignia

AUDI A3 Sportback 30 TDI

Audi A3 Sportback 40 TFSI e

O Audi A3 Sportback da 4.ª geração baseia-se na plataforma MQB Evo, que também é a estrutura técnica dos novos Seat Leon, Skoda Octavia e VW Golf, uma arquitetura moderna que alavanca um progresso importante para o compacto premium, sobretudo nos domínios da conetividade, digitalização.

Na gama de motores a gasóleo, o 30 TDI apresenta-se como a versão mais acessível. Tem motor de 4 cilindros e 2 litros com 116 cv apoiado por uma boa caixa manual de 6 velocidades, convincente nas acelerações e nas recuperações, por desfrutar da boa disponibilidade de binário (300 Nm) logo nos baixos regimes, e ainda mais na moderação no consumo, com média homologada de 3,9 l/100 km e real na casa dos 5 litros, conduzindo despreocupadamente.

Quanto à dinâmica, é de referir que os A3 Sportback com menos de 150 cv contam com sistema de torção no eixo posterior, em vez de um mais sofisticado esquema multibraços, mas não é notada penalização no conforto de rolamento.

O compacto da Audi é também uma referência na qualidade dos interiores, exibindo montagem robusta combinada com seleção criteriosa dos materiais, e quotas de habitabilidade na média do segmento, com bom espaço em comprimento e largura à frente e atrás, o que beneficia o bem-estar a bordo. A capacidade da mala varia entre os 380 e os 1200 litros, dependendo da configuração do compartimento. Com o Audi Virtual Cockpit plus (opção, por 355 €), o A3 ganha um ecrã de 12,3 polegadas em vez do quadrante em desuso. O ecrã central é de 10,1 polegadas.

Peça uma proposta e marque um test drive a um Audi A3 Sportback

Mercedes Classe A 118 D Limousine

Mercedes Classe A 118 D Limousine
Mercedes-Benz A 250 e Limousine, iridiumsilber metallic, Leder schwarz;Kraftstoffverbrauch gewichtet 1,4 l/100 km, CO2-Emissionen gewichtet 33-32 g/km, Stromverbrauch gewichtet 14,8-14,7 kWh/100 km*
Mercedes-Benz A 250 e Sedan, iridium silver metallic, Leather black;Weighted fuel consumption 1.4 l/100 km, weighted CO2 emissions 33-32 g/km, weighted power consumption 14.8-14.7 kWh/100 km*

Design apelativo, superior qualidade de fabrico, equipamentos tecnológicos de vanguarda, elevado nível de conforto e de eficácia dinâmica posicionam a 4.ª geração do Mercedes Classe A como referência do segmento.

A variante Limousine consolida tudo isso e não dispensa o motor Diesel poupado. Trata-se do bloco de 1,5 litros a gasóleo herdado da anterior geração, mecânica onde foram operados alguns ajustes que subiram a potência dos 109 para os 116 cv, o que, em conjunto com a caixa automática 7G-DCT, permite uma condução fácil. E falamos de condução fácil e fluida, não de ritmos desportivos, obviamente impossíveis para o escasso nível de potência, como prova a aceleração de 0 a 100 km/h acima dos 10 segundos. Mas o trunfo mais importante desta mecânica é, naturalmente, a frugalidade do consumo, com uma média de homologação de 4,4 litros a cada 100 km.

No lado prático, destaque para os lugares traseiros com espaço razoável para três pessoas – quem ocupar o lugar do meio terá que contar com algum aperto. A bagageira da versão Limousine tem 420 litros, mais 50 do que no Classe A de 5 portas.

Quando custa um Mercedes Classe A novo?

BMW Série 1 116 D

BMW Série 1 116 D

A geração atual do Série 1, de tração dianteira, não dispensa versão Diesel de acesso, com motor de três cilindros herdado da anterior geração, mas devidamente refinado para satisfazer quem procura economia e descontração ao volante. Para tal, o 1.5 turbodiesel de 116 cv utiliza sistema de recirculação de gases de escape de dois ciclos (apenas um nos Diesel de 4 cilindros, 118d e 120d), o que ajuda o 116d a cumprir as normas antipoluição.

A associação à caixa automática de dupla embraiagem e sete velocidades, outra das novidades face ao 116d da anterior geração, é a opção acertada, já que ajuda muito à fluidez da condução, faltando apenas as patilhas de comando (da mesma) no volante para um maior envolvimento nos momentos de condução mais despachada.

A BMW não dispensa programa de condução com três modos : Sport, Eco e Comfort, estes dois últimos com função de condução “à vela”

A adoção da plataforma de tração dianteira permitiu ganhos de espaço, com quase mais 5cm livres para arrumar as pernas dos passageiros que viajam atrás e a BMW também não descurou o apuro da dinâmica e a qualidade da condução, apostando numa direção muitíssimo bem calibrada e num chassis menos reativo do que o anterior, de tração traseira, mas ainda muito agarrado à estrada e com ótima capacidade motriz.

O interior está mais colado que nunca ao do Série 3, adotando a mesma política de opcionais. O painel de instrumentos e monitor central tátil de 12,3 polegadas, disponíveis apenas com o Live Cockpit Professional, que soma comandos gestuais. A qualidade geral é elevada.

Interessado num BMW Série 1 novo?

Leia também:

Mais artigos da mesma categoria

ALD, Leasing, Renting, Crédito Automóvel ou Pronto Pagamento: Qual a melhor forma para comprar carro?

Juntar dinheiro para comprar um carro a pronto é uma prática pouco comum em Portugal e talvez financeiramente a menos interessante, uma vez que os…

Procura autocaravanas baratas? Apresentamos-lhe 7!

Idealiza fazer uma viagem pela Europa de autocaravana? Saiba que os seus sonhos podem estar bem próximos da realidade, com estas 7 autocaravanas baratas. É…

Carro a diesel ou a gasolina: como decidir?

É uma das dúvidas mais comuns que ocorre em qualquer pessoa que queira comprar um automóvel novo. Afinal, deve-se escolher um carro a diesel ou…

O que são carros recondicionados?

O termo recondicionado invadiu os sites de vendas em segunda mão: há smartphones recondicionados, tablets, computadores.... Poder-se-ia até pensar que se trata de uma nova…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional