Mercedes-AMG SL 2022

6 min

Porque é que conduzimos pela direita? Conheça as origens e as razões

Provavelmente já deve ter questionado os motivos sobre porque conduzimos pela direita. Ao contrário de outros países, como o Reino Unido, onde se conduz pela esquerda, Portugal faz parte de uma lista maior de países que conduzem pela via direita da faixa de rodagem do que pelo contrário.

Porém, a história revela que nem sempre foi assim e que, em tempos, já se conduziu pela esquerda nas estradas nacionais. Esta lógica foi apenas mudada há quase um século atrás.

Alguns dos incentivos nesta mudança foi dada graças aos media na altura. Estações radiofónicas e publicidade de cartazes com títulos espalhados pelas estradas apelavam para que se conduzisse pela direita, para que pura e simplesmente se criasse um pouco de ordem com a passagem dos automóveis e carroças com cavalos.

Uma vez que os automobilistas na época não tinham por base o conhecimento das regras básicas de trânsito como as tal conhecemos nos dias de hoje, tentou-se criar uma lógica simples entre os dois sentidos da faixa de rodagem.

Por outro lado, era bastante frequente utilizar a faixa esquerda um pouco por todas as nações espalhadas pelo velho continente europeu, até à então revolucionária França anular esta prática.

Para tal, é necessário recorrer às regras criadas pelo imperador francês, Napoleão Bonaparte, mas também entender outros factos históricos e perceber afinal porque conduzimos à direita, assim como a maior parte dos condutores espalhados por todo o mundo.

Porque razão conduzimos pela direita? Conheça a história

Aquilo que hoje parece ser regra apenas no Reino Unido e nos países da Commonwealth, foi outrora regra quase geral. Conduzir pela esquerda era um hábito antigo, encontrado nas mais diversas e antigas civilizações, passando pelas épocas medievais até à revolução industrial.

Na época medieval, por exemplo, a mão esquerda era usada para tomar a rédea dos cavalos, deixando a mão direita livre para empunhar as lanças ou as espadas para combate. 

Para que fosse possível erguer uma espada com a mão direita, os soldados que fossem destros, circulavam sempre pela esquerda. Mais tarde, quando foram introduzidas as charretes e carruagens nas grandes cidades, o chicote era digno da mão direita, para que a punição fosse bem medida.

No entanto, é importante que perceba a evolução histórica que mudou este hábito na maioria dos países, incluindo Portugal.

A mudança imposta por Napoleão

Foi na era revolucionária francesa que esta prática/hábito de conduzir pela esquerda foi anulada. Por ordem do imperador Napoleão Bonaparte, os exércitos teriam que começar a circular pelo lado direito das estradas.

Pode dizer-se que a mudança deveu-se à “sede” de inovação imposta pela personalidade de Napoleão, mas também se pode dizer que o fator de gerar mudança teve por base um capricho do mesmo. Diz-se que Napoleão era canhoto. Facto é que a mudança acabou por se alastrar a toda Europa continental, por ordem deste.

Quer acredite ou não, os cocheiros das carruagens francesas sentavam-se sempre do lado esquerdo. Esta é uma clara explicação dentro de uma perspetiva cognitiva, da razão de ainda hoje termos os volantes dos nossos automóveis do lado esquerdo e consequentemente, o motivo de conduzirmos na via da direita.

Napoleão impôs esta mesma lei aos países invadidos pela França. Porém, quando o país se retirou dos demais conquistados, o hábito de condução permaneceu instalado.

Assim sendo, a partir dessa altura, todos as nações colonizadas pelo território francês ou dominados por Napoleão, adotaram a nova regra.

Há 91 anos que se conduz à direita em Portugal

Em Portugal, a mudança tomou lugar no dia 1 de Junho de 1928. Neste primeiro dia do mês, as novas regras de circulação foram adotadas para revolucionar os hábitos dos condutores portugueses com a obrigatoriedade de conduzir à direita. 

À época, o recurso à publicidade foi um bom aliado. Para consciencializar os portugueses para a alteração entrar em vigor, criaram-se dísticos com as palavras “Pela Direita”. Estes foram sendo espalhados por toda a parte, para contribuírem para a boa ordem da circulação automóvel.

Ao mesmo tempo, esta mesma publicidade era ouvida através de mensagens através da estação de rádio, colocada em vários estabelecimentos públicos como forma de alerta.

A condução à direita estreou-se em Portugal na cidade de Lisboa, a partir das 5 horas da manhã. No resto do país, a lei entrou em vigor na meia-noite desse mesmo dia. 

A regra foi igualmente aplicada à generalidade das colónias portuguesas da altura, deixando de fora países como Macau, Goa e Moçambique.

Ford contribuiu na mudança

Ford Model T

Para se demarcarem das ligações britânicas, os Estados Unidos da América contrariaram a obrigatoriedade de circulação pela esquerda, mas foi a Ford, a grande impulsionadora e maior responsável pela mudança. 

Apoiada pela falta de legislação referente às configurações dos automóveis, a fabricante norte-americana passou a produzir em série o Ford Model T, que vinha equipado com volante à esquerda.

Com as novas regras de circulação, e seguindo as pisadas da Ford, a indústria automóvel passou a fabricar automóveis com o volante instalado do lado esquerdo em todos os modelos produzidos em série, para fazerem precisamente a circulação pelo lado direito. 

Se sempre quis saber porque conduzimos à direita, certamente terá interesse em saber se ainda há países que circulam pela esquerda (além do Reino Unido). A resposta é que há ainda uma infinidade deles!

Na verdade, existem na atualidade 56 países ou territórios cuja condução é feita pela via da esquerda. Já pelo sentido da via direita, a totalidade de países ou territórios é composta por 144.

Leia também:

Mais artigos da mesma categoria

Sistema de quatro rodas direcionais: como funciona

É importante não confundir quatro rodas motrizes com quatro rodas direcionais: são coisas diferentes com efeitos bem distintos. Ainda assim, dispor de um carro com…

10 dicas de segurança automóvel

Com cada vez mais automóveis na estrada, as probabilidades de problemas assim que se mete o pé dentro do carro disparam. Mas há comportamentos e…

Rolls-Royce Spectre já rola em Nürburgring

Os automóveis da Rolls-Royce tendem a ser dotados de grandes motores que produzem uma potência bastante razoável. Estes motores, em conjunto com o luxo e…

Os cinco melhores carros para quem gosta de viajar

Para quem gosta de viajar de automóvel quanto mais requintada é a experiência de condução melhor. E não pense que os grandes topos de gama…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional
Procura um Carro Novo? Consulte agora todos os carros novos à venda em Portugal. Peça uma Proposta!
This is default text for notification bar