Pneus recauchutados

5 min

Pneus recauchutados: boa ou má opção?

Os pneus recauchutados nasceram por motivos de rentabilidade, mas hoje em dia, numa época em que todos devemos contribuir para a proteção do ambiente, fazem mais sentido do que nunca. A política dos 3Rs – reduzir, reutilizar e reciclar – tem nos pneus recauchutados um exemplo bem demonstrativo. Eles espelham ainda o que é a economia circular, que aspiramos adotar por estes dias, em vez da economia linear que tem conduzido o planeta a elevados níveis de poluição e de empobrecimento de recursos.

Mas afinal o que são pneus recauchutados?

Imagine que tem os pneus do seu carro gastos. Já imaginou para onde aqueles vão quando os troca por um jogo de pneus novinho em folha? Aqueles que cumprem os requisitos de segurança necessários podem ser recauchutados. Em termos simples, a recauchutagem consiste em colocar uma camada nova de borracha sobre o piso anterior. Há ainda a chamada recauchutagem integral que coloca um novo piso e o perfil. Ambas as possibilidades recorrem à vulcanização.

Poupar a carteira e o ambiente

Um pneu recauchutado de um veículo pesado é 30 a 60% mais barato do que um novo, além do efeito positivo a nível ambiental. Quanto a duração, está preparado para fazer tantos quilómetros como um pneu novo. Além disso, cada pneu recauchutado de um veículo pesado utiliza menos 70 a 100 litros de petróleo. Contas feitas, são cinco vezes menos matéria-prima. Só na Europa, os pneus recauchutados permitem poupar um milhão de toneladas de petróleo por ano.

Artigo relacionado: Como escolher os pneus ideais para o seu carro

A principal vantagem destes pneus está, portanto, na sua vertente ecológica: permitem poupar recursos (como petróleo e derivados ou borracha natural) e energia. A sua produção gera menos emissões de CO2 e contribuem para dinamizar as economias locais. Isto porque geram empregos ligados ao setor e porque os clientes que compram estes pneus têm acesso a alternativas mais baratas do que os pneus novos. São também um importante campo de pesquisa e conhecimento para os fabricantes de pneus novos, que através da análise e estudo dos recauchutados retiram ensinamentos preciosos que aplicam na sua gama de produtos novos.

Desvantagens dos pneus recauchutados

Do lado das desvantagens, não é garantido que os níveis de segurança, ruído e aderência estejam ao mesmo nível de um pneu novo. Apesar de haver quem garanta que a segurança de um pneu recauchutado é a mesma de um pneu a estrear, desde que esteja homologado.

Veja-se, como exemplo, a seguinte situação: um utilizador compra quatro pneus recauchutados. Por fora, são os quatro iguais. Mas, no limite, as carcaças que deram origem a estes quatro pneus são de construtores diferentes. Por aqui, é fácil perceber que o nível de conforto de cada pneu poderá ser diferente em cada uma das rodas.

O Ministério do Ambiente, através da Valorpneu, entidade que gere os pneus usados em Portugal, aposta na promoção dos recauchutados e, inclusive, já os incorporou nas compras do Estado. A Valorpneu lançou também um microsite, em junho de 2020, dedicado em exclusivo aos pneus recauchutados. Este assume o objetivo de “promover esta atividade e desmistificar os estigmas que ainda existem em torno dos pneus recauchutados”.

Pneus recauchutados em Portugal

Segundo a Valorpneu, em Portugal são recauchutados 342.800 pneus por ano, sendo esta atividade responsável por 400 postos de trabalho diretos e por um volume de negócios anual de 39,2 milhões de euros. A Valorpneu adianta que espera um forte aumento deste montante, devido à nova legislação europeia para os pneus, em conjunto com o novo enquadramento legislativo ambiental e a economia circular aplicada aos pneus usados, além da referida integração, em 2019, nos critérios das compras públicas ecológicas do Estado português para o setor dos transportes.

Artigo relacionado: Saiba como homologar jantes e pneus cumprindo a lei

Ainda assim, a verdade é que o setor dos pneus recauchutados necessita do apoio das autoridades portuguesas e da União Europeia. A concorrência dos países asiáticos, em especial da China, que propõem pneus novos por vezes abaixo do preço de custo, tem provocado danos pesados ao setor. De tal forma que, hoje em dia, quase não se vendem pneus recauchutados para automóveis ligeiros de passageiros. Mas eles continuam a palmilhar muitos e bons quilómetros em veículos comerciais, todo-o-terreno, pesados de mercadorias e autocarros. Outro setor que também utiliza muito pneus recauchutados em todo o mundo é o da aviação.


Leia também:

 

Mais artigos da mesma categoria

Venda de carros a combustão na Europa tem fim à vista

O Parlamento Europeu aprovou uma das medidas mais importantes do pacote legislativo “Fit for 55”, que pretende impor um corte de 100% nas emissões de CO2…

Kit de emergência para o inverno: o que não pode faltar no carro

Na grande maioria das regiões de Portugal, não temos neve na estrada e há poucos sítios verdadeiramente isolados, sem rede de telemóvel. Mas eles existem…

Hidrogénio: a fonte de energia da discórdia

Enquanto algumas marcas recusam determinantemente a ideia de o hidrogénio vir a ser uma possibilidade para a indústria automóvel, outras não se inibem de avançar…

Milhões de carros por construir por causa da falta de chips

No Japão, as estimativas apontam para que se produzam menos 1,3 milhões de carros no ano fiscal de 2021, que se prolonga até março de…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional