Guia para comprar um carro importado

6 min

Guia para comprar um carro importado

Comprar um carro importado chegou a ser um verdadeiro negócio. Mas, já não sendo o que foi e dependendo do país de origem e do modelo da viatura, ainda pode ser vantajoso. No entanto, não vale a pena atirar-se de cabeça nesta aventura sem seguir todos os passos. E não salte etapas – mais vale prevenir desde o início deste negócio.

Qualquer país da União Europeia pode ser um potencial lugar para ir buscar um carro novo desde que compense. No entanto, o maior exportador de automóveis continua a ser a Alemanha e, se pondera importar um veículo, deverá começar por este país.

Veja todos os carros importados à venda no Standvirtual

Mas, antes, saiba o que não lhe pode faltar em todo este processo: cartão do cidadão ou passaporte, claro; carta de condução (a não ser que contrate transporte, terá de trazer o carro para Portugal); e tempo (não se consegue ir à Alemanha comprar carro num estalar de dedos; reserve no mínimo uma semana). Agora a dica provavelmente mais importante: se não falar alemão, tratar de arranjar uma app de tradução. É que o inglês é universal, mas não estranhe se encontrar quem nem sequer o arranhe.

1.º passo – Faça escolhas

Em vez de ir decidindo à medida que o processo avança, trate de fazer as suas escolhas antes de iniciar a odisseia da importação de um carro. A começar, claro, pelo carro que quer trazer. Não se fique pela marca e modelo; perceba que extras não dispensa para, depois, não ficar desiludido.

Decida ainda se pretende comprar à distância e mandar vir por transportadora (o custo ronda os 1200€) ou se não passa sem ir ver o carro ao vivo e a cores. Se for este o caso, tente não deixar tudo para tratar em cima do joelho; mais tempo permitir-lhe-á conseguir melhores tarifas quer nos voos quer no alojamento que reservar. Depois, terá de saber se pretende regressar a conduzir, aproveitando o seu brinquedo novinho em folha (some gastos de combustível, portagens, refeições e alojamentos ao longo do caminho) ou se regressa da mesma maneira que foi e envia o carro por uma empresa de transportes.

2.º passo – Compare

Até pode parecer que o carro que vai importar é um bom negócio. No entanto, não se fique pelas impressões e faça todas as comparações possíveis. Agarre no modelo que vai adquirir e no valor que o mesmo apresenta e procure nos sites de referência portugueses modelos idênticos.

É certo que o mais provável é que a diferença de preço pareça compensar, mas não se esqueça de somar todos os euros relacionados com as despesas que vai ter para o adquirir e legalizar.

Artigo relacionado: Comprar carro importado: vantagens e desvantagens

Caso, o país a ir seja mesmo a Alemanha, opte por um carro alemão, preferindo os das marcas ditas premium. Em termos de mecânicas, as que mais compensam serão as movidas a gasóleo, seguidas por aquelas que têm baixas emissões de CO2. E não se esqueça: quanto mais caro o modelo em Portugal, mais compensará a ida ao estrangeiro.

Também não se renda de imediato a um novo, ou seja, a um veículo com menos de seis meses e que não tenha mais de 6000 quilómetros rodados. Se for esse o caso, terá de pagar IVA em Portugal, mesmo depois de já ter regularizado o mesmo imposto na Alemanha.

O ideal por isso é escolher um carro com mais de um ano e menos de cinco: neste intervalo conseguirá encontrar negócios aliciantes.

3.º passo – Atenção aos documentos

Um dos mais importantes documentos, além dos da identificação da viatura, é o certificado de conformidade (COC), que lhe será exigido em Portugal para a legalização do carro. É certo que o pode obter através de um pedido à marca, mas irá levar algum tempo.

Trate de perceber se o vendedor o tem, se o consegue arranjar e se vai cobrar pelo mesmo (entre 100€ e 250).

Prefira ainda um vendedor que se revele capaz de tratar de parte do processo de exportação, nomeadamente o registo de uma matrícula temporária (se for amarela, é válida até 5 dias; vermelha, pode ir até um ano), a contratação de um seguro obrigatório (válido pelo mesmo período que a matrícula) e o pagamento do imposto de circulação alemão (correspondente aos mesmos dias).

Artigo relacionado: Vale a pena importar carros elétricos?

No regresso, faça-se acompanhar pelo equivalente ao livrete do carro, pelo equivalente ao título de registo de propriedade, da folha da inspeção (para carros com mais de 3 anos), da declaração de venda, da carta do seguro, do COC e da fatura da compra ou do comprovativo de pagamento.

4º passo – Legalizar

O processo de legalização pode ser feito por conta própria ou recorrendo a uma empresa especializada neste tipo de serviços (cobram até 500€, despesas não incluídas).

Se for pela segunda hipótese, poderá relaxar e esperar que o processo seja concluído. Já a primeira obrigá-lo-á a várias andanças. A saber: terá de efetuar visitas a um centro de inspeções, a uma loja de chapas de matrículas, ao IMT, à Conservatória do Registo Automóvel, podendo realizar alguns processos online, nomeadamente com as finanças e alfândegas ou com a companhia de seguros.

Já os custos dependerão do modelo, o qual pesará no cálculo do ISV e do IUC – mas é bom que tenha estas contas feitas desde o 2.º passo.

Atenção que após a entrada no país, a emissão da DAV (Declaração Aduaneira de Veículo) tem de ser feita em 20 dias úteis, o pagamento dos impostos em 10 dias úteis, ao passo que o DUA pode ser pedido ao longo dos 30 dias seguintes e o registo feito nos dois meses após a chegada.

Leia também:

Mais artigos da mesma categoria

4 SUV usados até 20.000€

O gosto pelos SUV – veículos com uma desafogada distância do solo, aparência robusta e boa habitabilidade – já não é apenas uma questão de…

Saiba quais os modelos mais procurados em 2018, no Standvirtual

Sabe que carros fizeram parte do "top mais" do Standvirtual, ano passado? Conheça os modelos mais procurados em 2018 e outras curiosidades do site nº1 em…

5 carros elétricos usados até 50.000€

O mercado dos carros elétricos tem vindo a crescer exponencialmente nos últimos anos, pela mudança de hábitos dos automobilistas, ajudada também por interessantes incentivos fiscais…

Comprar carro novo ou manter o atual: qual a opção mais ecológica?

Os carros antigos não só são menos seguros e sofisticados, como gastam e poluem mais. Comprar um carro novo, mais moderno e tecnologicamente mais eficiente…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional