Guia para comprar um carro importado

6 min

Guia para comprar um carro importado

Comprar um carro importado chegou a ser um verdadeiro negócio. Mas, já não sendo o que foi e dependendo do país de origem e do modelo da viatura, ainda pode ser vantajoso. No entanto, não vale a pena atirar-se de cabeça nesta aventura sem seguir todos os passos. E não salte etapas – mais vale prevenir desde o início deste negócio.

Qualquer país da União Europeia pode ser um potencial lugar para ir buscar um carro novo desde que compense. No entanto, o maior exportador de automóveis continua a ser a Alemanha e, se pondera importar um veículo, deverá começar por este país.

Veja todos os carros importados à venda no Standvirtual

Mas, antes, saiba o que não lhe pode faltar em todo este processo: cartão do cidadão ou passaporte, claro; carta de condução (a não ser que contrate transporte, terá de trazer o carro para Portugal); e tempo (não se consegue ir à Alemanha comprar carro num estalar de dedos; reserve no mínimo uma semana). Agora a dica provavelmente mais importante: se não falar alemão, tratar de arranjar uma app de tradução. É que o inglês é universal, mas não estranhe se encontrar quem nem sequer o arranhe.

1.º passo – Faça escolhas

Em vez de ir decidindo à medida que o processo avança, trate de fazer as suas escolhas antes de iniciar a odisseia da importação de um carro. A começar, claro, pelo carro que quer trazer. Não se fique pela marca e modelo; perceba que extras não dispensa para, depois, não ficar desiludido.

Decida ainda se pretende comprar à distância e mandar vir por transportadora (o custo ronda os 1200€) ou se não passa sem ir ver o carro ao vivo e a cores. Se for este o caso, tente não deixar tudo para tratar em cima do joelho; mais tempo permitir-lhe-á conseguir melhores tarifas quer nos voos quer no alojamento que reservar. Depois, terá de saber se pretende regressar a conduzir, aproveitando o seu brinquedo novinho em folha (some gastos de combustível, portagens, refeições e alojamentos ao longo do caminho) ou se regressa da mesma maneira que foi e envia o carro por uma empresa de transportes.

2.º passo – Compare

Até pode parecer que o carro que vai importar é um bom negócio. No entanto, não se fique pelas impressões e faça todas as comparações possíveis. Agarre no modelo que vai adquirir e no valor que o mesmo apresenta e procure nos sites de referência portugueses modelos idênticos.

É certo que o mais provável é que a diferença de preço pareça compensar, mas não se esqueça de somar todos os euros relacionados com as despesas que vai ter para o adquirir e legalizar.

Artigo relacionado: Comprar carro importado: vantagens e desvantagens

Caso, o país a ir seja mesmo a Alemanha, opte por um carro alemão, preferindo os das marcas ditas premium. Em termos de mecânicas, as que mais compensam serão as movidas a gasóleo, seguidas por aquelas que têm baixas emissões de CO2. E não se esqueça: quanto mais caro o modelo em Portugal, mais compensará a ida ao estrangeiro.

Também não se renda de imediato a um novo, ou seja, a um veículo com menos de seis meses e que não tenha mais de 6000 quilómetros rodados. Se for esse o caso, terá de pagar IVA em Portugal, mesmo depois de já ter regularizado o mesmo imposto na Alemanha.

O ideal por isso é escolher um carro com mais de um ano e menos de cinco: neste intervalo conseguirá encontrar negócios aliciantes.

3.º passo – Atenção aos documentos

Um dos mais importantes documentos, além dos da identificação da viatura, é o certificado de conformidade (COC), que lhe será exigido em Portugal para a legalização do carro. É certo que o pode obter através de um pedido à marca, mas irá levar algum tempo.

Trate de perceber se o vendedor o tem, se o consegue arranjar e se vai cobrar pelo mesmo (entre 100€ e 250).

Prefira ainda um vendedor que se revele capaz de tratar de parte do processo de exportação, nomeadamente o registo de uma matrícula temporária (se for amarela, é válida até 5 dias; vermelha, pode ir até um ano), a contratação de um seguro obrigatório (válido pelo mesmo período que a matrícula) e o pagamento do imposto de circulação alemão (correspondente aos mesmos dias).

Artigo relacionado: Vale a pena importar carros elétricos?

No regresso, faça-se acompanhar pelo equivalente ao livrete do carro, pelo equivalente ao título de registo de propriedade, da folha da inspeção (para carros com mais de 3 anos), da declaração de venda, da carta do seguro, do COC e da fatura da compra ou do comprovativo de pagamento.

4º passo – Legalizar

O processo de legalização pode ser feito por conta própria ou recorrendo a uma empresa especializada neste tipo de serviços (cobram até 500€, despesas não incluídas).

Se for pela segunda hipótese, poderá relaxar e esperar que o processo seja concluído. Já a primeira obrigá-lo-á a várias andanças. A saber: terá de efetuar visitas a um centro de inspeções, a uma loja de chapas de matrículas, ao IMT, à Conservatória do Registo Automóvel, podendo realizar alguns processos online, nomeadamente com as finanças e alfândegas ou com a companhia de seguros.

Já os custos dependerão do modelo, o qual pesará no cálculo do ISV e do IUC – mas é bom que tenha estas contas feitas desde o 2.º passo.

Atenção que após a entrada no país, a emissão da DAV (Declaração Aduaneira de Veículo) tem de ser feita em 20 dias úteis, o pagamento dos impostos em 10 dias úteis, ao passo que o DUA pode ser pedido ao longo dos 30 dias seguintes e o registo feito nos dois meses após a chegada.

Leia também:

eyJpZCI6IjIyNDIzMjE1NDkzIiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX0xCX1RvcCIsInBhcmVudFBhdGgiOlt7ImlkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3IiwiYWRVbml0Q29kZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3In0seyJpZCI6IjIwMzU2NTkwOTY3IiwibmFtZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIn0seyJpZCI6IjIxNzg0MTIzODQwIiwibmFtZSI6IlNUVl9ibG9nIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IlNUVl9ibG9nIn0seyJpZCI6IjIyNDIxODkyMzI0IiwibmFtZSI6IkJsb2dfRGVza3RvcCIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX0Rlc2t0b3AifV0sImFkVW5pdENvZGUiOiJBUF9MQl9Ub3AiLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiI3MjgiLCJoZWlnaHQiOiI5MCIsImlzQXNwZWN0UmF0aW8iOiJmYWxzZSJ9LCJlbnZpcm9ubWVudFR5cGUiOiJCUk9XU0VSIiwiZnVsbERpc3BsYXlTdHJpbmciOiI3Mjh4OTAifX0=
eyJpZCI6IjIyNDIzMjIwNDM0IiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzEiLCJwYXJlbnRQYXRoIjpbeyJpZCI6IjUwOTIyNyIsIm5hbWUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyJ9LHsiaWQiOiIyMDM1NjU5MDk2NyIsIm5hbWUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCIsImFkVW5pdENvZGUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCJ9LHsiaWQiOiIyMTc4NDEyMzg0MCIsIm5hbWUiOiJTVFZfYmxvZyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJTVFZfYmxvZyJ9LHsiaWQiOiIyMjQyMTg5MTQzMCIsIm5hbWUiOiJCbG9nX01vYmlsZSIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX01vYmlsZSJ9XSwiYWRVbml0Q29kZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzEiLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiIzMDAiLCJoZWlnaHQiOiIyNTAiLCJpc0FzcGVjdFJhdGlvIjoiZmFsc2UifSwiZW52aXJvbm1lbnRUeXBlIjoiQlJPV1NFUiIsImZ1bGxEaXNwbGF5U3RyaW5nIjoiMzAweDI1MCJ9fQ==
eyJpZCI6IjIyNDIzNDM3Mjg3IiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX0xCX0JvdHRvbSIsInBhcmVudFBhdGgiOlt7ImlkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3IiwiYWRVbml0Q29kZSI6ImNhLXB1Yi0zMDIzMTkxOTk4Mjg1MTk3In0seyJpZCI6IjIwMzU2NTkwOTY3IiwibmFtZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IjFfU3RhbmRWaXJ0dWFsIn0seyJpZCI6IjIxNzg0MTIzODQwIiwibmFtZSI6IlNUVl9ibG9nIiwiYWRVbml0Q29kZSI6IlNUVl9ibG9nIn0seyJpZCI6IjIyNDIxODkyMzI0IiwibmFtZSI6IkJsb2dfRGVza3RvcCIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX0Rlc2t0b3AifV0sImFkVW5pdENvZGUiOiJBUF9MQl9Cb3R0b20iLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiI3MjgiLCJoZWlnaHQiOiI5MCIsImlzQXNwZWN0UmF0aW8iOiJmYWxzZSJ9LCJlbnZpcm9ubWVudFR5cGUiOiJCUk9XU0VSIiwiZnVsbERpc3BsYXlTdHJpbmciOiI3Mjh4OTAifX0=
eyJpZCI6IjIyNDIzMjIxMTc1IiwibmV0d29ya0NvZGUiOiIxMDA3ODM3IiwiZWZmZWN0aXZlUm9vdEFkVW5pdElkIjoiNTA5MjI3IiwibmFtZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzIiLCJwYXJlbnRQYXRoIjpbeyJpZCI6IjUwOTIyNyIsIm5hbWUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJjYS1wdWItMzAyMzE5MTk5ODI4NTE5NyJ9LHsiaWQiOiIyMDM1NjU5MDk2NyIsIm5hbWUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCIsImFkVW5pdENvZGUiOiIxX1N0YW5kVmlydHVhbCJ9LHsiaWQiOiIyMTc4NDEyMzg0MCIsIm5hbWUiOiJTVFZfYmxvZyIsImFkVW5pdENvZGUiOiJTVFZfYmxvZyJ9LHsiaWQiOiIyMjQyMTg5MTQzMCIsIm5hbWUiOiJCbG9nX01vYmlsZSIsImFkVW5pdENvZGUiOiJCbG9nX01vYmlsZSJ9XSwiYWRVbml0Q29kZSI6IkFQX01yZWNfTW9iaWxlXzIiLCJkZXNjcmlwdGlvbiI6IiIsImlzRmx1aWQiOmZhbHNlLCJpc05hdGl2ZSI6ZmFsc2UsImFkVW5pdFNpemVzIjp7InNpemUiOnsid2lkdGgiOiIzMDAiLCJoZWlnaHQiOiIyNTAiLCJpc0FzcGVjdFJhdGlvIjoiZmFsc2UifSwiZW52aXJvbm1lbnRUeXBlIjoiQlJPV1NFUiIsImZ1bGxEaXNwbGF5U3RyaW5nIjoiMzAweDI1MCJ9fQ==

Mais artigos da mesma categoria

7 carrinhas usadas a gasóleo por menos de 20.000€

O mercado de usados continua a ser muito apetecível para quem pensa trocar de carro e as carrinhas não são exceção. Neste artigo, mostramos 7…

5 carros usados a gasolina por menos de 20.000€

Seja pelo facto de as manutenções serem mais económicas, seja por apresentar motores mais refinados e menos ruidosos que os Diesel, os carros a gasolina…

Diferença entre carros clássicos, pré-clássicos e antigos

Comprar o automóvel mais carismático dos tempos de juventude de cada um pode ser um mero exercício saudosista. Mas, para quem procura um investimento de…

3 carros elétricos novos até 30.000€

Os carros elétricos novos, assentes exclusivamente numa bateria recarregável, parecem ser cada vez mais apetecíveis, com um número crescente de automobilistas a renderem-se às vantagens…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional