Peugeot e-2008

8 min

Ensaio Peugeot e-2008: É por isto que é o elétrico mais vendido em Portugal

Conteúdo Patrocinado por Matrizauto

Há cada vez mais carros elétricos no mercado, mas nem todos eles agradam os nossos olhos, ou sobretudo, a nossa carteira.

Mas foram exatamente esses dois fatores que mais intrigam no Peugeot e-2008: um design que agrada a todos, e sobretudo, um preço que não assusta, sobretudo, quando olhamos para o mercado de usados. 

Com a ajuda da Matrizauto, em mais um ensaio do Standvirtual, mostramos porque é que o e-2008 é provavelmente um carro elétrico que pode fazer todo o sentido ter na sua garagem. 

Mais do que conforto, preços e estética, quando falamos de carros elétricos, valores mais altos se levantam. Ou neste caso, dados.

O Peugeot e-2008 conta com uma bateria de 50kWh de capacidade, dos quais podemos usar 45kWh. É uma prática comum nos carros elétricos não permitir usar toda a capacidade da bateria para fazer com que esta tenha uma vida útil mais prolongada. 

Com um consumo anunciado de 15.1kWh/100km, e teoria, os 45kWh desta bateria permitiriam percorrer perto de 300km. No entanto, nos carros elétricos, as contas não são assim tão simples e irão depender sempre do ambiente onde utiliza o carro.

Se for em autoestrada, a autonomia real do Peugeot e-2008 rondará os 180km, em ciclo misto, ou seja, aquela que é considerada a autonomia real, rondará os 250km. Se rodar apenas em cidade, facilmente conseguirá ultrapassar os 300km. 

Em termos comparativos com um veículo a gasolina, e tendo em conta a autonomia real deste carro, falamos de um consumo de 2L a cada 100km. 

Encontra todos os Peugeot e-2008 disponíveis na Matrizauto

Não sendo o “navio almirante” da tecnologia elétrica no que a carregamentos diz respeito, tendo em conta as dimensões da bateria, o Peugeot e-2008 tem uma velocidade de carregamento bastante satisfatória. 

Com uma capacidade máxima de receber carga de 101kW, é possível carregar a bateria deste carro dos 10 aos 80% em apenas 26min. Isto claro, caso encontremos um carregador de 100 ou 150kW de capacidade. 

Nos carregadores rápidos mais comuns em Portugal, os de 50kW, 50min bastarão para carregar este carro dos 10% aos 80%. 

Em casa, numa tomada doméstica, uma carga completa levará 23h e 15min, ao passo que numa wall box demorará 5h, ou 7:15h, dependendo se falamos de uma corrente monofásica, ou trifásica. 

Mas apresentada que está a componente elétrica, falemos agora da estética do Peugeot 2008 e daquilo que é transversal neste modelo, independentemente da motorização. É óbvio que um dos maiores trunfos desta geração do 2008 é, claro, a estética. E que muda muito de versão para versão nos novos modelos da Peugeot.

As versões do 2008 começam na Active, a mais básica, que conta com faróis de halogénio, seguindo-se a Allure, que muda muito pouco em termos estéticos, e por fim, a GT, o topo de gama dos Peugeot 2008, tanto nas versões elétricas como a gasolina, e que são a única versão que oferece esta assinatura de luzes que impõe não só presença, mas respeito.

Contamos com faróis de tecnologia FULL LED e que em tudo se assemelham às garras e aos caninos de um Leão.

Assinatura repetida com algumas semelhanças na parte traseira, essa sim, não se altera tanto em função da versão, mas que oferece também 3 barras verticais de cada lado, com efeito tridimensional. 

Ao ter uma silhueta mais robusta, com uma junção de superfícies salientes, angulares, e outras planas, a fazerem lembrar uma pedra, e ao ter uma altura ao solo bastante maior do que a geração anterior, o Peugeot 2008 está mais SUV que nunca e encarna a postura de um automóvel que está sempre pronto para a aventura, sobretudo, quando equipado numa cor mais arrojada. 

Mas… mais do que gostar do visual e ou das cores do Peugeot e-2008, certamente todos vão gostar daquilo que a Peugeot tem feito com os seus últimos lançamentos, ao procurar criar uma experiência sensorial que vai além da condução, tentando tocar em todos os sentidos…

Análise Interior

E é sobretudo quando nos sentamos ao volante de um dos novos Peugeot que notamos as grandes diferenças da anterior geração para esta geração do Peugeot 2008. 

A qualidade de toque de todos os materiais na frente, e o conforto e suporte dos bancos, em particular da versão GT, é notório. No entanto, é impossível ignorar e não falar do “elefante na sala”, que é o volante de pequenas dimensões e que tornam a posição de condução dos novos Peugeot tão peculiar.

O Peugeot e-2008 conta com a última geração do i-cockpit da Peugeot, lançado pela primeira vez no Peugeot 308, em 2013, e que tem vindo a evoluir de geração para geração em todos os modelos da marca francesa.

É caracterizado sobretudo por um volante num formato hexagonal, de dimensões reduzidas, mas que tem o fundo plano, para libertar mais espaço para as pernas, e o topo plano também, para permitir ver com clareza todo o painel de instrumentos, que segundo a Peugeot, está colocado numa posição mais baixa do que o convencional para permitir uma melhor visibilidade para o exterior, e que além disso conta também com grafismos 3D, algo muito intuitivo e que facilita a leitura de informação.

É uma posição de condução que pode levar algum tempo a habituar. Há quem depois a adore, e há também quem continue sempre a odiar. É um daqueles casos em que não há mesmo meios termos. 

Caso vá comprar um Peugeot 2008, ou qualquer outro Peugeot da nova geração, é essencial que perca algum tempo sentado no lugar do condutor e ajustar o volante e o banco para a sua posição de condução. Felizmente, a Peugeot oferece uma vasta amplitude de regulação quer de um elemento, quer de outro.

E se visitar a Matrizauto, pode perder bastante tempo nesta parte que ninguém se irá importar. Pelo contrário, rapidamente terá um vendedor especializado para o ajudar e certamente o convidará a fazer um test-drive. Essa sim será a prova dos 9.

Também em termos de conectividade e segurança, a Peugeot esforça-se a dar cartas, no entanto, e temos que ser claros, o sistema de infoentretenimento não é tão claro de operar ou tão responsivo como de algumas marcas premium alemãs. No entanto, é bastante intuitivo, e completo, e independentemente de optarmos pelo ecrã de 7 polegadas, ou pelo opcional de 10, encontramos sistemas de conectividade Apple CarPlay e Android Auto, além de alguns botões de atalhos físicos que facilitarão em muito toda a sua utilização. 

No que toca a espaço, o Peugeot e-2008 é um excelente carro para a família. Atrás, o espaço abunda para crianças, e encontramos 3 pontos de isofix, incluíndo 1 no lugar do pendura, algo que não é tão comum. 

Existe ainda uma variedade sem fim de espaços de arrumação, incluíndo um porta-luvas que é de longe, um dos maiores de toda a indústria automóvel.

Por vezes nos elétricos o espaço de arrumação fica limitado pelo facto dos carros terem que acomodar as baterias debaixo dos assentos ou da bagageira. Mas no Peugeot e-2008, o espaço da bagageira é exatamente o mesmo que nas versões com motor a combustão: 405L com os bancos em posição, ou 1400L com os bancos rebatidos. 

Por último uma menção ao conforto deste carro. É tipicamente francês, no bom sentido. Não faz esquecer que estamos perante um carro com mais de 2 toneladas, é certo, e tampouco os 136cv e 260Nm de binário incentivam a uma toada agressiva. Mas no capítulo do conforto, este e-2008 está a anos luz à frente de qualquer outro 2008. Arriscamos dizer que consegue causar inveja a alguns automóveis de segmentos superiores. Simplesmente sublime.

 

Leia também:

Mais artigos da mesma categoria

Review Nissan Micra (2018)

O Nissan Micra é, de qualquer ângulo que se aprecie, um automóvel extremamente atraente e muito bem conseguido esteticamente, batendo a concorrência aos pontos por…

Hyundai i20 – O melhor “carro barato” que podes comprar?

A 3ª geração do Hyundai i20 já chegou ao mercado e está mais barata, mas muito melhor que a anterior, não só em termos dinâmicos,…

Review BMW Série 4 418d GranCoupé (2019)

Se existe algo que sempre caracterizou a BMW, foi a sua capacidade em criar carros de elevado apuro dinâmico e sobretudo, bastante emocionais. Condução [embedyt]…

Review Audi A3 Sportback (2020): o mais luxuoso dos compactos?

Em equipa que ganha, não se mexe, mas pode-se sempre melhorar. Esse foi o mote da Audi para renovar o A3, adicionando aqui e ali…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional