carros hibridos saiba quanto pode poupar

5 min

Carros híbridos: saiba quanto pode poupar

Os carros elétricos representam uma fatia do mercado cada vez maior, mas ainda há quem ponha as mãos à cabeça só de pensar em ficar horas à espera de ter a bateria recarregada – ainda que, na maioria das vezes, isso possa acontecer no tempo em que não usaria o carro de qualquer das maneiras: ou porque está em casa a dormir, ou porque está a trabalhar.

No entanto, não querer já alinhar num carro 100% elétrico não significa que não possa entrar na onda da eletrificação e, com isso, poupar dinheiro, o que poderá ser mais fácil com um carro híbrido, já que os plug-in ainda representam um investimento elevado. Isto, se for um particular; as empresas usufruem de benefícios fiscais na aquisição dos carros de bateria recarregável externamente. Mas, claro, antes há que fazer contas.

Quanto custa um carro híbrido?

Para conseguir perceber se um carro híbrido será uma opção que lhe compensa, comece por comparar o valor de aquisição de um mesmo modelo apenas com mecânica alimentada por combustível fóssil com um que alia o motor térmico a um sistema elétrico. Considere-se o exemplo de um Toyota Yaris: a gasolina, o utilitário apresenta-se por um preço a partir de cerca de 18 mil euros, com o motor 1.0 VVT-I de 72 cv. No entanto, a melhor comparação com a motorização híbrida será feita com o bloco 1.5 VVT-I, animado por 125 cv e apenas disponível a partir do nível Exclusive, que é proposto desde cerca de 23 mil euros. Já o Yaris com o mesmo nível de equipamento e mecânica assistida eletricamente, com potência equivalente a 116 cv, custa cerca de 25 mil euros.

Procura um carro híbrido novo?

Tomemos então como exemplo a versão Exclusive: o híbrido custa mais cerca de 1500 euros do que o gasolina sem apoio elétrico. Mas serão 1500€ deitados pela janela fora ou difíceis de recuperar?

Fazer contas aos consumos

No caso do automóvel dado como exemplo, o consumo homologado é de 5,0 litros por cada cem quilómetros para o gasolina de 125 cv. O problema é que o tricilíndrico muitas vezes pede mais do acelerador e rapidamente os consumos atiram-se para mais de seis litros. Contas simples: tendo em conta o preço médio atual da gasolina 95 de 2,10€, 100 quilómetros custam no Yaris 1.5 VVT-I pelo menos 12,60€. Já o híbrido anuncia um consumo médio de 4,0 litros, o que representa um gasto para os mesmos cem quilómetros de 8,40€. Acresce a isto o facto de, em circuito urbano, o consumo do Yaris 1.5 Hybrid Dynamic Force conseguir ficar abaixo daquela média, já que o para/arranca ajuda a recarregar a pequena bateria com capacidade de 4,3 Ah.

Mas fiquemo-nos pelos números apurados: 12,60€ contra 8,40€, uma poupança de 4,20€ por cada cem quilómetros. Depois, é só juntar zeros: ao fim de menos de dois mil quilómetros terá poupado um depósito inteirinho; depois de apenas dez mil quilómetros, terá poupado em combustível mais de 400€. Ou seja, ao fim de menos de 40 mil quilómetros terá recuperado praticamente a totalidade do seu investimento num carro menos poluente.

Artigo recomendado: Portagens mais baratas para carros híbridos e elétricos com tração integral

Poupar nas manutenções

Por um lado, já vimos que um híbrido consome menos. Mas esta não é a única poupança associada a este tipo de motorização. Por exemplo, os travões são muito menos usados numa mecânica com apoio elétrico, graças à travagem regenerativa. Isso significa que as pastilhas e os discos terão uma vida útil maior.

Além disso, se a utilização for muito urbana será o motor elétrico a dar cartas. E, com menos utilização, todos os componentes do motor térmico – óleos, fluidos, correias, filtros – terão uma maior durabilidade, o que reduz significativamente os gastos nas revisões periódicas.

A preocupação com a bateria

Uma das maiores preocupações de quem anda a estudar a aquisição de um híbrido prende-se com o enorme custo de uma bateria. No entanto, tem vindo a ser provado que esta preocupação está mais assente num mito do que num problema real.

Primeiro, as marcas asseguram uma longa garantia às baterias – e certamente não o fariam se achassem que elas não durariam. No caso em apreço, a garantia dada ao automóvel é de sete anos ou 160 mil quilómetros. Já a bateria do sistema híbrido usufruiu de uma garantia de cinco anos ou cem mil quilómetros, mas a mesma é renovável anualmente até ao 10.º aniversário sem gastos acrescidos. Basta passar na Verificação Anual do Sistema Híbrido para se tornar elegível para o Programa de Cobertura Extra da Bateria do Sistema Híbrido por um período de mais um ano ou 15 mil quilómetros.

Leia também:

Mais artigos da mesma categoria

O que acontece às baterias dos carros elétricos em fim de vida?

O tema “veículos verdes” é muito bonito e está na moda. Mas nem tudo é tão verde quanto se diz ou parece. Tudo tem um…

E as marcas que vendem mais carros híbridos plug-in em Portugal são…

Há quem acuse a mecânica dos carros híbridos plug-in de desastre ambiental, mas a indústria automóvel continua a acreditar que é o caminho certo para…

Subida do preço para carregar carros elétricos não afasta compradores

O arranque de 2022 não trouxe boas notícias aos proprietários de carros elétricos, com o anúncio de novas tarifas para a utilização dos postos de…

Benefícios fiscais dos carros híbridos para empresas

Um carro híbrido é o melhor de vários mundos. Trata-se de um automóvel eficiente em termos de consumo, graças ao motor elétrico que apoia o…
X

Quer receber as nossas comunicações por e-mail?

Email Marketing by E-goi

É proprietário de um Stand?

Crie uma Conta Profissional